Nossa história e trabalho

Juliana Szabluk

Psicologia, neurociência, nutrição, filosofia. Estamos morrendo pelos pedaços que nos arrancam e não temos mais memória. Eu reúno a origem e os mais recentes estudos - d0s hormônios às mitocôndrias.

Nossa história e trabalho 1

Me chamo Juliana Szabluk, sou filha de trauma na infância e pesquiso as desordens decorrentes (psiquiátricas, neurológicas, metabólicas, afetivas) desde os 15 anos. Já fui diabética, pesava 130kg, e hoje sou uma das maiores pesquisadoras de Dieta Cetogênica no Brasil. São 10 anos de pesquisa, trabalho e vivência com low carb/cetose. Sou aluna das duas maiores nutricionistas de Dieta cetogênica do mundo, Beth Zupec-Kania e Denise Potter, ambas da Charlie Foundation, sendo a primeira brasileira a se especializar em cetogênica para saúde mental e psiquiatria.
Sou Psicoterapeuta certificada e Consultora Nutricional por formação pela Noakes Foundation – Nutrition Network e também especializada em aplicações médicas pela instituição.Também, especializada em aplicação médica das 5 diferentes Terapias Cetogênicas pela Matthew’s Friends / John Hopkins, e pela Matthew’s Friends Clinics, no curso de especialização Keto College Medical Training, além da Epilepsy Foundation, no curso Global symposium medical ketogenic dietary therapies. Ainda, cursos de cetogênica e hormônios femininos com Jay Wrigley (endocrino da psiquiatra Georgia Ede), além de Michael. D. Fox, que conduz uma clínica de fertilidade e cetogênica na Flórida. Por ultimo, cursos com Diet Doctor, Jason Fung e Megan Ramos (jejum), Low Carb USA, participação em todos os Metabolic Health Summit, curso com Bret Scher (Metabolic Mind), Chris Masterjohn, Henrique Freire, Weston Price Foundation, Julia Ross (neuro-nutrient therapy) e Bitten Jonsson (compulsão).

Sou Revisora Técnica do primeiro livro de Dieta Cetogênica em português, “Dieta Keto para Leigos” (Alta Books, 2021). Fui convidada dos filmes Nutrição Humana e o Estado Metabólico, sobre Dieta Cetogênica, Carboidratos Modernos e O Lado Oculto do Açúcar. Ainda, sou voluntária do Dr. Chris Palmer, psiquiatra de Harvard que pesquisa a Cetogênica para doenças mentais. Autor do Best-Seller Energia Cerebral, que você compra na Amazon.

Tenho formação em Psicologia Oriental e estudo o Feminino Ancestral e a psicologia oriental há 19 anos. Minha experiência soma quase 5 mil mulheres  com transtornos energéticos que se manifestam como fadiga, oscilações energéticas, de humor,  compulsões, vícios, transtornos afetivos, cognitivos que precisavam da união das áreas com as quais eu trabalho.

Hiperativação hipotalâmica pelos constantes sinais de medo e sobrecarga enviados pelo sistema límbico, que acarretarão em insônia, obesidade, problemas nos hormônios sexuais, adrenais, tireoide, autoimunes e questões cardiovasculares.
Um cérebro em medo está 24h em modo de sobrevivência, gerando um gasto energético que glicose alguma bastará. E grande parte dos casos, o metabolismo foi tão danificado, que qualquer tipo de comida pode gerar fadiga extrema, como é o caso da anorexia, de onde eu vim – distúrbios de aminoácidos, lipídios e carboidratos.

Nestes casos de metabolismo hiperdebilitado por estresse crônico, precisamos entregar alimentos rapidamente absorvidos pelo corpo em crise, além de ferramentas que removerão metais pesados que alteram a permeabilidade mitocondrial (a usina de energia do corpo) e elevarão aminoácidos e gorduras de ação rápida. Porque, honestamente, tu já gastou uma casa em suplementos que teu corpo não absorve.

Meu trabalho interliga psicologia, ciência de ponta, estruturação da vida e incontáveis terapias que jamais serão usadas por um único profissional. Rotina, casamento, carreira, mapeamento do cérebro,  além conhecer os remédios que no passado funcionaram pra ti. Tudo isso ajuda a  criar teu mapa, porque a meta é se saber e como dar o combustível certo com prazer – porque o CÉREBRO SEMPRE VENCERÁ. A questão é que eu vou te ensinar a celebrar isso comigo. Tua história de solidão e culpa se encerra aqui. Ao meu lado. 

Sou como tu, irmã. Filhas pequenas, divorciada, trauma na infância e um cérebro diferente que é meu companheiro. E  hoje posso dizer que desenvolvi tantas técnicas e ferramentas, que aquilo que a sociedade chama de “doença” – seja pelo Gaba, serotonina, ocitocina, regulação do sistema nervoso autônomo -, eu chamo de DOM. Eu sinto mais o ambiente, o cliente, a vida, os sons, as mudanças de temperatura e oscilações hormonais. E isso é Feminino no ápice. Eu só vou tirar a dor de ti, sem matar tua libido e sensibilidade, como a indústria faz.  Porque a meta não pode se tornar um cibirgue em inanição. A mulher é a abundância da terra e nós, juntas, retomaremos nosso lugar no mundo.

Pessoas atendidas
2000
Horas atendidas
30000

Marque nosso encontro agora, diretamente comigo.